centauros feridos

Blog que relaciona arte, movimento e cura.

Equus

Português

Desde criança eu adorava cavalos. Naturalmente, pensei em fazer algum tipo de esporte equestre, mas acabou que não rolou. Então, esqueci do assunto. Ou melhor, o fiz apenas em parte, porque sempre aproveitava as oportunidades que eu tinha para montar, como tocar gado na fazenda de um amigo.

Muitos anos depois fiquei com um lado do corpo paralisado por conta de uma cirurgia neurológica. A sequela, essa hemiparesia, prejudica, e muito, o equilíbrio, porque faz a gente perder a simetria corporal. Apenas com um lado do corpo permanece forte, ágil e estável o bastante. A hemi torna assustador chegar perto de um cavalo, quanto mais montar em um e se sujeitar a uma queda.

Porém, desde a paralisia, eu passei a ver algumas coisas que relacionavam a reabilitação aos esportes equestres e minha curiosidade sobre isso foi sendo atiçada.

Depois da cirurgia, eu morei numa chácara por anos e cavalos acabavam fazendo parte do meu quotidiano. Então, um dia eu fui assistir a aula de equoterapia de um amigo e a sua professora me convidou pra montar.

Eu não sei se eu tive medo. Acho que não, pois eu sabia que os cavalos usados pra esse tipo de terapia precisam ser muito dóceis. Na verdade, quando eu fui ver a aula, já estava ansioso para que algo assim acontecesse. Então, foi ali que depois de mais de 20 anos eu montei num cavalo novamente.

Resolvi, então, dedicar essa página a um momento especial e a um animal ímpar que eu amo de paixão.

 

English

Since childhood I loved horses. Naturally, I thought about doing some kind of equestrian sports, but it was never possible. Then, I forgot about it all. Or rather, I only kind of forgot about it as I’d take every opportunities I had to ride, such as tending cows in a friend’s farm.

Then, one side of my body got paralised because of a brain surgery. the afftereffect, the  hemiparesia, badly affects one’s balance as we lose the physical symmetry. In it, just one side of the body remains strong, prompt and stable enough. In this condition, even to get near a horse is scary, let alone ride it and face a fall.

However, since the surgery I had seen things related with physical rehabilitation and equestrian sports. I was getting more and more curious about it, and as I lived in the countryside for many years afterwards, horses end up being part of my everyday routine. So, one day when I was watching a hipotherapy class of a friend, I was invited to ride a horse..

I don’t know whether I was scared. I don’t think so as I knew that horses for that must be very gentle. In fact, I when I went to see the class, I already hoped for an opportunity like that. So, after more than 20 years I rode a horse again.

I, then, decided to dedicate this page to a special moment anf to a singular animal that I really love.