roda de cura

Blog que relaciona arte, movimento e cura.

copy-str-4-5-e1361571308799.jpg

Home

Esculturas de Spartak Dermendjiev

Este blog surgiu da necessidade de divulgação do meu livro Curadores feridos e outros frankensteins: quinze apostas nos opostos (leia as primeiras 20 páginas do livro e/ou adquira-o clicando na imagem abaixo ou leia parte dele em inglês nas categories Book ou English). Portanto, um dos meus objetivos aqui é tratar de temas que norteiam o livro, a saber: saúde, religiosidade, hibridismo, criatividade, marginalidade e arte, sendo que todos são vistos e pensados em amplo espectro.

Entretanto, ao contrário do que é possível na mídia impressa, aqui amplio o  alcance do livro ao usar os recursos específicos da mídia eletrônica, como a possibilidade de exibir galeria de imagens, arquivos de som, vídeos, e assim por diante.

Ora, um dos arquétipos do curador ferido é Quíron, rei dos centauros, curador, músico e tutor de grandes heróis da mitologia grega.

No mito, ele é acidentalmente ferido por uma flecha envenenada, cujo ferimento seria letal para qualquer outro. Todavia, como Quíron é um semideus, embora ferido, não pode morrer. Ele sofre, então, de dores atrozes em uma agonia eterna e, conquanto versado no uso de plantas curativas e grande curador das feridas alheias, é incapaz de curar as próprias.

Creio que vários tipos de feridas acometem a mim e a muitas pessoas como eu, pois na verdade a vida nos fere a todos independentemente da categoria em que nos enquadramos.

Não obstante, como uma das minhas grandes afinidades é a arte, neste blog pretendo divulgar a obra de artistas que lidem com as próprias feridas e também com as de outrem. Deste modo, se como Quíron, forem incapazes de sanar a própria dor, talvez, ao terem suas obras expostas nesta espécie de roda, possam sanar as dores de seus semelhantes e simultaneamente ter as sua sanada por eles.

Ou seja, creio que expor a arte e o talento do outro, assim como bebê-la, seja um dos remédios de que mais precisamos  e, diga-se de passagem, nada amargo.

Além do mais, este blog reflete um de meus grandes desejos, que é o de estabelecer uma relação de troca em que todos possam se olhar de igual pra igual sem que um se ache melhor ou mais do que o outro. Se este círculo não é o único caminho para chegar a esse objetivo, ao menos nele todos nós encarnamos os arquétipos do curador e do ferido.

Obs: Eliminei os comentários para o blog ficar mais limpo. Se quiser comentar ou trocar alguma ideia entre em contato pela página apropriada.

 

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 304 other followers